O mundo sem anéis: 100 dias em uma bicicleta

o-mundo-sem-aneisFaltava pouco para chegar ao meu destino quando na última página da revista de bordo, deparei com uma delicada aquarela representando uma menina encaixada  num aro de bicicleta. Embaixo, um trecho entre aspas de um livro e a sua explicação no rodapé da página. Tanto a ilustração quanto o texto fazem parte de “O mundo sem anéis: 100 dias em bicicleta” escrito e ilustrado por Mariana Carpanezzi.

Na hora desejei ter esse livro. Ele combinava duas coisas que me mobilizam, desde que publiquei “A Pergunta mais Importante”. São elas: bicicletas e ilustrações. Mas havia algo mais, ele era fruto de uma publicação independente. Admiro quem se joga e arrisca, por conta própria, no trabalhoso mundo editorial.

Sem ter como anotar o nome do livro, e sabendo que assim que pusesse o pé fora do avião o esqueceria, levei a revista comigo.

Encomendei “O mundo sem anéis: 100 dias em bicicleta” pelo site www.surinamariana.com  e em menos de dez dias tinha-o em minhas mãos.

Confesso que me desapontei um pouco com a capa feita de papel pardo, mas apreciei o projeto gráfico desenvolvido em seu interior. Como brinde veio um delicado marcador de páginas com uma ilustração feita pela autora, e dois mini folders promovendo a organização Bike Anjo.

Misto de guia de viagem randômico, com dicas do que levar, ou não, nos alforjes de uma bicicleta (você sabia que quem pedala longas distâncias não usa cuecas ou calcinhas? entre a pele e a bermuda colante apenas vaselina para não se machucar), “O mundo sem anéis: 100 dias em bicicleta” é o relato de uma jornada muito pessoal feita em estradas francesas, portuguesas e espanholas.

Uma viagem muitas vezes solitária; um virar-se ao avesso; um descascar-se pelo caminho; deixar tudo que pesa e atrapalha para finalmente se encontrar e dizer: Cheguei, estou em casa.

 

  • O mundo sem anéis: 100 dias em bicicleta

Mariana Carpanezzi

http://www.surinamariana.com

http://www.muitolonge.com.br

R$ 40,00

E-book R$ 6,00

 

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Alice
    ago 22, 2016 @ 10:58:53

    Parece bem interessante, Paula! Adorei o último parágrafo: “Uma viagem muitas vezes solitária; um virar-se ao avesso; um descascar-se pelo caminho; deixar tudo que pesa e atrapalha para finalmente se encontrar e dizer: Cheguei, estou em casa.”

    –Alice

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: