Desejo-te tempo

Moro no Brasil há muito tempo, e, como era de se esperar, as amizades que fiz na época em que estudei em Sintra esvaíram-se com o passar dos anos. No entanto, uma permaneceu. A bem da verdade, durante um longo período perdemos o rastro uma da outra, mas graças às redes sociais voltamos a nos aproximar. É uma amizade persistente: desde que saí de Portugal, só nos vimos duas vezes, sendo que a última foi há vinte anos. Mesmo assim, aproveitamos todo final de ano para pôr as novidades em dia, desejarmos, uma à outra, Boas Festas e nos parabenizarmos pelos respectivos aniversários.

Conheci a Isabel na terceira classe. Quantos anos teríamos: 8-9 anos? Ela entrou no meio do ano letivo, e como boas sagitarianas logo começamos a conversar. Descobrimos que, em comum, gostávamos muito de ler. Na época, nossa escritora favorita era Enid Blyton e sonhávamos em viver grandes aventuras. Há uns anos, Isabel apresentou-me à escritora nigeriana Chimamanda Adichie. Uma extraordinária contadora de histórias que, nos seus livros, luta pela emancipação feminina, denuncia a desvalorização da cultura africana e o preconceito racial.

Desta vez, o e-mail veio acompanhado de uma bonita poesia, perfeita para dar as boas vindas ao ano que agora se inicia. Seu autor seria o escritor português José Régio. Entretanto, ao pesquisar na internet para conhecê-lo melhor, descobri que lhe atribuem erroneamente a composição. O verdadeiro autor de Desejo-te tempo é a escritora alemã Elli Michler.

Independentemente de quem o escreveu é um belo poema. Obrigada, Isabel por, mais uma vez, me apresentares a algo que não conhecia.


“Não te desejo um presente qualquer,
Desejo-te somente aquilo que a maioria não tem.
Desejo-te tempo, para te divertires e para sorrir;
Desejo-te tempo para que os obstáculos sejam sempre superados
E muitos sucessos comemorados.
Desejo-te tempo, para planear e realizar,
Não só para ti, mas também para os outros.
Desejo-te tempo, não para ter pressa e correr,
Desejo-te tempo para te encontrares,
Desejo-te tempo, não só para passar ou vê-lo no relógio,
Tempo para te encantares e tempo para confiares em alguém.
Desejo-te tempo para tocares as estrelas,
E tempo para crescer e amadurecer.
Desejo-te tempo para aprender e acertar,
Tempo para recomeçar, se fracassares…
Desejo-te tempo, para ter novas esperanças e para amar.
Não faz mais sentido protelar.
Desejo-te tempo para ser feliz.
Para viver cada dia, cada hora como um presente.
Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tempo.
Tempo.
Muito tempo!”

4 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Celina
    jan 11, 2022 @ 20:39:00

    Que lindo desejo de Ano Novo, desejo tempo para que aproveitemos a Fagulha que voltou animada na virada 2021/2022 que bom!

    Responder

  2. Isabel Oliveira
    jan 12, 2022 @ 07:12:50

    Obrigada querida amiga. Procurei verificar antes de partilhar mas pelos vistos fui induzida em erro. Assim ganhei oportunidade de conhecer uma nova escritora alemã. Continuamos a partilhar estes “tesourinhos”. Beijinhos

    Responder

  3. fagulhadeideias
    jan 12, 2022 @ 08:59:42

    Querida Isabel, desejo que neste ano a gente possa se encontrar pessoalmente, de preferência em Portugal. Estou com saudades da minha terra. Beijinhos

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: