Este ano Agosto chegou em Julho

Dez-bons-conselhos-de-meu-paiFinalmente o mês de julho está terminando! Normalmente é ao mês seguinte, Agosto, que associamos as mais diversas crendices e acontecimentos nefastos. No entanto, este ano, Julho foi imbatível na quantidade de tragédias e más notícias.

Começou com a derrota vergonhosa do Brasil para a Alemanha na Copa do Mundo, continuou com a derrubada criminosa de um avião na Ucrânia e com a escalada da violência entre Israel e Palestinos, depois mais dois aviões caíram, um na África e outro na China e por fim em menos de 30 dias o Brasil perdeu 4  grandes escritores: Ivan Junqueira, João Ubaldo Ribeiro, Rubem Alves e Ariano Suassuna, sendo que os últimos três em menos de uma semana!

As notícias se atropelaram de tal jeito que fica difícil homenagear cada um desses escritores individualmente.

Como moro em Salvador aproveito o ultimo post do mês para homenagear o mais baiano de todos, assim como os pais brasileiros que comemorarão o seu dia em Agosto, com um delicioso livro infantil escrito por João Ubaldo Ribeiro “Dez Bons Conselhos de meu Pai”.

São eles:

  1. Não seja tutelado
  2. Não seja colonizado
  3. Não seja calado
  4. Não seja ignorante
  5. Não seja submisso
  6. Não seja indiferente
  7. Não seja amargo
  8. Não seja intolerante
  9. Não seja medroso
  10. Não seja burro (o meu favorito)

Enfrentar com determinação os problemas, ter orgulho das origens sejam elas familiares ou locais, estudar sempre e não se acomodar, preocupar-se com o semelhante mesmo que desconhecido, correr atrás da própria felicidade, enfim VIVER!!!

Conselhos a serem dados a uma criança e lembrados por todos nós.

 

  • Dez bons conselhos de meu pai

João Ubaldo Ribeiro

Editora Objetiva

R$ 36,90

Obrigado a todos!

Obrigado-a-todos

Obrigado a todos! da escritora portuguesa Isabel Minhós Martins merece ser lido a uma criança para, depois, trocarem-se ideias.

Se nós adultos estamos o tempo todo aprendendo coisas novas, o que dizer da aventura que é o cotidiano dos pequenos? Um aprendizado constante que não ocorre apenas na escola (a decoreba da tabuada e o nome dos rios), e nem só em casa (como usar o garfo e a faca ou não deixar a roupa espalhada pelo chão).

Sem dar conta eles aprendem com os mais variados “professores”.  Inicialmente são os pais, os avós, os tios, mas aos poucos vão surgindo outros: o vizinho do apartamento ao lado, o motorista do ônibus e os novos amigos.

Pois é sobre essas pequenas “lições” que trata Obrigado a todos!

Situações do cotidiano provocam reflexões divertidas, sem quaisquer traços professorais. Assim o menino da história aprende que às vezes é preciso saber esperar, mas às vezes é preciso correr atrás do que se quer; que é muito bom ganhar, mas há que saber perder; que é importante ouvir o que os outros têm para dizer, mas melhor ainda é aprender a escutar a si mesmo .

Obrigado a todos! É um livro inteligente e sensível, repleto de ilustrações alegres e coloridas. Aos responsáveis por sua concepção o meu muito OBRIGADA!

  • Obrigado a todos!

Isabel Minhós Martins / Bernardo Carvalho

Editora Peirópolis

R$ 35,00

 

Anotar ou Fotografar

Devagarinho ponho de lado o caderninho de capa preta onde sempre anotei os títulos de livros que me interessam e pretendo ler um dia.

A tecnologia me conquistou. É tão mais fácil tirar uma foto da capa do livro, que procurar no fundo da bolsa, caneta e caderninho para depois escrever, sem muito equilíbrio, o titulo e o autor do livro escolhido.

Reconforta-me saber que mesmo não comprando todos os livros que gostaria, tenho seus nomes guardados e, a qualquer momento, posso entrar numa livraria e examiná-los com mais vagar.  Verdade que corro o risco de procurá-los depois e não os encontrar, mas agindo dessa forma também evito algumas decepções quando resolvo comprar um livro por impulso.

É muito comum as anotações ficarem esquecidas meses a fio. Quando as releio, às vezes, não consigo lembrar o que foi que provocou o meu interesse. Agora com as fotografias das capas essa incerteza deixou de existir.

Mal comparando é como se alguém  anotasse num papel o nome e telefone de uma pessoa que acabou de conhecer e por quem se interessou. Se não entrar logo em contato com ela, com o passar do tempo, aquele apontamento pode significar muito pouco. No entanto se tirar uma foto dessa mesma pessoa, quando a olhar de novo relembrará as sensações sentidas no primeiro momento.

Na minha ultima visita anotei, ou melhor, fotografei:

 

A-terra-inteira-e-o-ceu-infinitoA terra inteira e o céu infinito de Ruth Ozeki – Casa da Palavra (R$ 39,90 / e-book R$ 26,99)

 

e O-retorno-a-montanha-do-dragãoO retorno à Montanha do Dragão de Jonathan Spence – Editora Record (R$ 40,00)

 

 

 

 

A conferir.

%d blogueiros gostam disto: