Duas decepções e uma boa surpresa

Fiquei mais de um mês sem postar, mas isso não significa que pus os livros de lado. Acontece que as ultimas leituras foram pouco prazerosas – apesar de terem recebido ótimas críticas – e, por essa razão, não me apeteceu comentá-las.

A primeira decepção foi com A Gorda, da escritora Isabela Figueiredo. Interessei-me pelo livro porque, como disse em um post anterior, gostei muito do outro livro da escritora, Caderno de memórias coloniais.

Decidida a não me deixar abater e interessada em conhecer outros autores lusófonos, iniciei a leitura de Esse cabelo – a  tragicomédia de um cabelo crespo que cruza fronteira, da angolana, Djaimilia Pereira de Almeida. A escritora havia sido um dos destaques da FLIP no ano passado.

A trama não poderia ser mais atual e interessante, já que aborda temas como racismo, padrões de beleza feminino, identidade social, etc. Mas de novo, a leitura não fluiu. Li uma frase, reli, e nada do texto me cativar. Dei-me por vencida e pus o livro de lado.

Lembrei que fizera o mesmo quando tentei ler O Apanhador no Campo de Centeio na adolescência. Acho que os problemas próprios da idade eram mais do que suficientes para me fazer debruçar com paciência sobre a rabugice depressiva de outro jovem.

Felizmente, no início deste ano, resolvi dar uma  nova chance a Holden Caulfield, e constatei que meu olhar havia mudado. Com satisfação, mergulhei com empatia nos questionamentos do atormentado personagem.

Por essa razão, decidi fazer o mesmo com Esse cabelo…  Quem sabe se o deixar hibernando por algum tempo na estante eu possa apreciá-lo melhor?

Por último, gostaria de fazer uma ressalva muito importante para quem ainda não leu ou gostaria de reler “O Apanhador no Campo de Centeio”.

Como é possível que a editora, detentora por anos a fio dos direitos da obra no Brasil, não tenha se dado ao trabalho de corrigir erros ortográficos, nem de melhorar o projeto gráfico do livro? Nele, não consta uma linha sequer sobre o autor, nem uma pequenina resenha da história. Ainda por cima cobram o exorbitante preço de R$ 75,00.

Lamentei ter lido o livro antes do lançamento da caprichada edição feita em junho pela editora Todavia. A tradução foi atualizada, a ilustração da capa é a original americana e o preço está bem mais em conta: R$ 59,90. Essa nova versão de O Apanhador no Campo de Centeio vale a pena guardar ou oferecer de presente.

%d blogueiros gostam disto: