A minha maluquice não tão secreta

livros de receitas culinárias

Na minha família costuma-se dizer que alguém tem uma pancada quando apresenta um hábito estranho ou um gosto esquisito. A pancada pode ser excêntrica e motivo de piada, mas será sempre inofensiva.

Confesso que a minha pancada é comprar livros de culinária. Houve um tempo em que menos criteriosa comprava tanto aqueles publicados por autores estrangeiros quanto aqueles de autores nacionais. Hoje isso não acontece mais. Cansei de ler uma receita e me frustrar ao perceber que faltava um ingrediente fundamental para a confecção de um prato, ou que a tradução ficava um tanto ou quanto a desejar.

Considero a leitura de um livro de culinária altamente relaxante: leio as receitas, imagino os pratos, monto os cardápios, convido os amigos, “como” com os olhos, e o melhor de tudo não engordo um grama sequer!

Esta maluquice tem apenas um pequeno probleminha… Simplesmente não sei cozinhar! Tudo bem, faço ovo frito, mexido, macarrão al dente, sanduíches gostosos, mas só!

Atualmente iniciei um novo “namoro” com dois títulos que visito toda a vez que passo pela seção de culinária da livraria:

Cozinha de estar – Receitas práticas para receber

Naturalissima – as premiadas receitas

Desejo a todos bom apetite!

Cozinha de estar – Receitas práticas para receber
Rita Lobo

Editora Paralela

R$ 69,90

Naturalíssima – as premiadas receitas
Tatiana Cardoso

Editora Alaude

R$ 75,00

Ou este ou aquele

a Mocinha do Mercado Central

Para a nova vizinha e futura amiga de Maria todos os nomes possuíam significados que, como por magia, ao serem escolhidos quando uma pessoa nascia, poderiam determinar o seu destino.

Foi graças a ela que Maria soube o significado do seu: “a escolhida”, “a senhora”. Assim, imaginou e decidiu viver várias vidas a partir dos diferentes nomes que haveria de escolher para si mesma.

Em Brasília foi Zoraida, mulher cativante e sedutora. Depois em São Francisco no norte de Minas Gerais, foi Teresa aquela que é prestativa e que “chega aos lugares trazendo as coisas que as pessoas mais precisam”. Já em São Paulo chamou-se Simone  “a que escuta”.

Muitas outras cidades e outros nomes vieram. Em cada uma delas e com cada nome diferente as reinvenções foram acontecendo, e Maria se maravilhou com as potencialidades que cada nova vida oferecia.

Não sei quantas almas tenho.

Cada momento mudei.

Continuamente me estranho.

Nunca me vi nem achei.

De tanto ser, só tenho alma.

Quem tem alma não tem calma.  

                                                        (Fernando Pessoa)

Imaginação e magia passeiam neste livro, repleto de delicadezas e direcionado ao público juvenil.

A mocinha do Mercado Central” de Stella Maris Rezende recebeu o maior prêmio de literatura do Brasil, o Jabuti, concedido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL).

Além de ter sido escolhido o Livro do Ano de Ficção, a autora recebeu mais dois prêmios: o prêmio máximo na categoria juvenil, com esta mesma obra e o segundo lugar na mesma categoria, com “A guardiã dos segredos de família”.

Stella Maris Resende nasceu em Minas Gerais, é mestra em Literatura Brasileira, professora, cantora, atriz e artista plástica. Autora de 40 livros,  já teve 14 obras premiadas pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLJ). Em 2010 ganhou o Prêmio Barco a Vapor, um dos mais importantes na área infanto-juvenil. Antes de vencer o Jabuti, Stella já havia sido finalista do prêmio três vezes.

A mocinha do Mercado Central

Stella Maris Rezende

R$ 29,90

Por onde começo?

Conhecemo-nos na época em que trabalhamos na mesma empresa. As áreas e funções eram distintas, mas a proximidade das salas facilitou a construção dos laços de amizade.

Reuníamo-nos, as seis, na hora do almoço e compartilhávamos o que cada uma havia trazido de casa. Momentos relaxados, divertidos que recordo com muito carinho.

No entanto, pouco a pouco, cada uma buscou novos desafios profissionais e nos espalhamos.

Não foi fácil manter o contato, mas graças ao empenho de todas, e apesar do grupo ter se desfeito há quase três anos, continuamos a nos reunir algumas vezes por ano. Normalmente para comemorar os aniversários umas das outras, quando nos cotizamos para dar um bom e único presente, previamente escolhido pela aniversariante.

Na próxima semana teremos novo encontro e será a minha vez de ganhar presentes.

A separaçãoO que quero ganhar? Ora, livros! Livros que não pude comprar e que não sei se terei tempo de ler. Qualquer um dos que anotei cuidadosamente, durante todo o ano, no caderninho que guardo na bolsa.

Fora das sombras – Jason Wallace – editora Bertrand Brasil

Sôbolos rios que vão – Antonio Lobo Antunes – editora Alfaguara Brasil

A vida de um alemão – Bernd Wollschlaeger – editora Imago

A décima nona esposa – David Ebershoff – editora Benvirá

Retrato da mãe quando jovem – Friedrich Christian Delius – editora Tordesilhas

Menino de lugar nenhum – David Mitchell –  editora Companhia das Letras

O ultimo livro – Zoran Zivkovic – editora Octavo

O casarão da rua do rosário – Menalton Braff – editora Bertrand Brasil

O bruxo – Maria Adelaide Amaral – editora Globo

Traduzindo Hannah Ronaldo Wrobel – editora Record

Um casamento feliz – Rafael Yglesias – editora Record

Uma mulher – Péter Esterházy – editora Cosac Naify

Dentes de leite – Ignacio Martinez de Pisoneditora Record

Damas da noite – Jetta Carleton – editora Bertrand Brasil

A confissão da leoa – Mia Couto – Companhia das Letras

E todos mais que estão sendo colocados, neste momento, nas livrarias deste país.

Socorro! Por onde começo?

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: