Os excluídos

“Matem uma galinha para que todos os macacos travessos fiquem com medo e assim comecem a obedecer” (ditado chinês)

Os-excluidosA história de “Os Excluídos”, aclamado livro da escritora chinesa Yiyun Li, radicada nos EUA, transcorre no final da década de 1970, na esquecida cidade de Rio Lamacento, no interior da China.

Os moradores, em breve, participarão das festividades que precedem o julgamento de uma mulher de 28 anos que, quando jovem, foi ardorosa seguidora de Mao Tsé Tung.

Crédula e inexperiente cometeu o crime hediondo de escrever uma carta, para o rapaz que amava, em que revelava suas dúvidas quanto aos métodos e a eficácia da Revolução Cultural.

Pretendendo obter privilégios para si e sua família, o namorado não tem escrúpulos em traí-la, e entrega a carta ao Comitê Revolucionário da cidade.

Depois de amargar dez anos na cadeia a jovem é condenada à morte, porque o diário escrito na prisão – quando já se tornara um farrapo humano e perdera o sentido de autopreservação – é mais uma prova comprometedora de sua deslealdade para com o Partido Comunista.

Apesar de os vizinhos conhecerem a jovem desde criança, a sua condenação, inicialmente, não os sensibiliza e em nada altera a vida de cada um deles.

Discretamente comentam entre si:

Para cada pobre alma derrubada pelos acontecimentos (…) haveria outra recebendo uma promoção. Um equilíbrio de energia social (…) em que, na verdade, para subir naquele país era preciso usar alguém como degrau. Não se davam ao trabalho de remexer o próprio passado, pois sabiam muito bem que, para atingir aquela idade são e salvos, já tinham tido a sua cota de corpos debaixo dos pés para mantê-los na superfície e aquelas histórias não tinham mais nenhuma importância, pois a vergonha e a culpa haviam sido absolvidas pela velhice”.

Mas querendo ou não, essa execução trará consequências  para a maioria dos moradores de Rio Lamacento. Aos poucos, graças ao texto brilhante e seguro de Yiyun Li, o leitor conhecerá aqueles que iniciaram uma tímida reação, os que serviram como plateia para essa pantomima macabra, os oportunistas sem escrúpulos e aqueles que, sem saber como ou por que, foram levados pela enxurrada dos acontecimentos.

Histórias de vidas que se entrelaçam, repletas de pequenas alegrias e grandes lutas, de ações altruístas e outras bastante cruéis. Vidas insignificantes, esmagadas por uma minoria, que se escora atrás de um “Ideal” que, há muito tempo, perdeu seu frescor e se transformou num mastodonte tirânico.

Quando terminei a leitura de “Os excluídos” pensei: ”Destes ficamos sabendo, mas que horrores serão revelados quando a caixa de Pandora guardada pelos escritores norte-coreanos for, um dia, aberta?”.

Os excluídos

Yiyun Li

Editora Nova Fronteira

R$ 54,90

Tempo de ostras, tartarugas e pérolas

Minha irmã fugiu do frio e veio me fazer uma visita de quatro dias.

Depois de nos deliciarmos com os bolinhos de peixe da Praia do Forte e com o banho de mar nas águas profundas e tranquilas da Praia da Espera em Itacimirim, de onde saímos correndo assustadas ao perceber que tínhamos como companhia uma tartaruga de casco bem grande, velha conhecida dos moradores locais que nos afirmaram ser totalmente inofensiva, retornamos à “civilização”.

Após percorrer o roteiro turístico obrigatório: Mercado Modelo, Dique do Tororó, Farol da Barra, etc, etc, partimos para a nossa viagem pessoal e… rumamos para uma livraria.

Estávamos com tempo, podíamos pegar um livro, ler um pouquinho, pegar outro, ler mais pouquinho… Apresentei-lhe Rubem Alves.

Enquanto ela ria e se emocionava com  Ostra feliz não faz pérola, estiquei displicentemente o braço e peguei o livro que se encontrava exposto na minha frente.

Era um livro de contos escrito por YiYun Li de quem nunca tinha ouvido falar.  E foi sem qualquer expectativa que comecei a ler o primeiro conto. À medida que virava as páginas percebi que tinha em mãos algo muito, mas muito especial, uma verdadeira pérola.

Parei para ler a orelha e conhecer melhor a autora. Foi com este livro que Yiyun Li recebeu diversos prêmios, além de ter sido escolhida pela revista Granta como uma das 21 melhores escritoras norte-americanas.

Retornei a leitura de Tempo de boas preces e não percebi o tempo passar. Ia começar a ler o segundo conto quando sobressaltada minha irmã me interrompeu avisando que estávamos MUITO atrasadas para o almoço.

Rapidamente fechei o livro e perdemos mais alguns minutos (será que perdemos?) para passar no caixa. Saímos felizes da livraria, cada uma com sua sacola, levando para casa as  novas descobertas que tanto haviam nos seduzido.

  • Ostra feliz não faz pérola

Rubem Alves

Planeta do Brasil

R$ 29,90

  • Tempo de boas preces

Yiyun Li

Editora Nova Fronteira

R$ 34,90

%d blogueiros gostam disto: