A puxada de tapete

Mas… o que pode haver numa livraria que seja… insalubre?!

 O ultimo livroNão sei o que esperava encontrar quando escolhi ler O último livro. Confesso que desde o início simpatizei com o título e talvez estivesse seduzida com os comentários elogiosos na orelha do livro. Também, nunca tinha ouvido falar desse autor – afinal tratava-se de um escritor sérvio e, por fim, fiquei curiosa em descobrir o que a editora Octavo, que também não conhecia, estaria oferecendo, de diferente, para sobressair no meio dos lançamentos das concorrentes poderosas e há mais tempo no mercado.

A história parecia promissora. Supus que se tratava de um romance policial leve, sem muitos tiros e assassinatos sangrentos, mas com alguns cadáveres.

Mortes inexplicáveis aconteceram numa pequena livraria de bairro. Com a ajuda da proprietária, o policial responsável por solucionar o caso percebe que elas têm algo em comum. Todas as pessoas, aparentemente sem problemas de saúde, faleceram enquanto liam um livro específico. Mas que livro seria esse?

A leitura, graças à boa tradução, fluía bem, até que algo aconteceu na trama e como um puxão brusco de tapete, fez-me perguntar o que, afinal de contas, estava lendo.

Corri para a internet para conhecer melhor o autor.  Zoran Zivkovic, havia-se formado pela universidade de Belgrado na antiga Iugoslávia e defendera teses de mestrado e doutorado falando sobre Ficção Científica!!  Mais tarde tornou-se famoso por apresentar um programa na televisão e escrever uma Enciclopédia ilustrada sobre o mesmo tema. Em 2003 seu livro A Biblioteca  recebeu o prestigiado prêmio World Fantasy Award.

O meu estranhamento estava explicado. Não estava lendo um escritor policial, mas um autor especializado em literatura fantástica!

Talvez se soubesse, desde o início, do que se tratava, não teria interesse em ler o livro – diferente de meu filho não sou fã do gênero, mas como já tinha sido fisgada pela história, continuei.

Posso dizer,com toda a certeza, que não me arrependi. O final foi surpreendente.

Ao reler os comentários concordei com o que fora publicado no jornal genovês (Il Secolo XIX), sobre O último livro: “(…) Uma eficaz metáfora sobre o poder mágico da literatura, do triângulo indissolúvel entre escritor, os seus personagens e o leitor”. Era isso mesmo.

O último livro

Zoran Zivkovic

Editora Octavo

R$ 46,00

Por onde começo?

Conhecemo-nos na época em que trabalhamos na mesma empresa. As áreas e funções eram distintas, mas a proximidade das salas facilitou a construção dos laços de amizade.

Reuníamo-nos, as seis, na hora do almoço e compartilhávamos o que cada uma havia trazido de casa. Momentos relaxados, divertidos que recordo com muito carinho.

No entanto, pouco a pouco, cada uma buscou novos desafios profissionais e nos espalhamos.

Não foi fácil manter o contato, mas graças ao empenho de todas, e apesar do grupo ter se desfeito há quase três anos, continuamos a nos reunir algumas vezes por ano. Normalmente para comemorar os aniversários umas das outras, quando nos cotizamos para dar um bom e único presente, previamente escolhido pela aniversariante.

Na próxima semana teremos novo encontro e será a minha vez de ganhar presentes.

A separaçãoO que quero ganhar? Ora, livros! Livros que não pude comprar e que não sei se terei tempo de ler. Qualquer um dos que anotei cuidadosamente, durante todo o ano, no caderninho que guardo na bolsa.

Fora das sombras – Jason Wallace – editora Bertrand Brasil

Sôbolos rios que vão – Antonio Lobo Antunes – editora Alfaguara Brasil

A vida de um alemão – Bernd Wollschlaeger – editora Imago

A décima nona esposa – David Ebershoff – editora Benvirá

Retrato da mãe quando jovem – Friedrich Christian Delius – editora Tordesilhas

Menino de lugar nenhum – David Mitchell –  editora Companhia das Letras

O ultimo livro – Zoran Zivkovic – editora Octavo

O casarão da rua do rosário – Menalton Braff – editora Bertrand Brasil

O bruxo – Maria Adelaide Amaral – editora Globo

Traduzindo Hannah Ronaldo Wrobel – editora Record

Um casamento feliz – Rafael Yglesias – editora Record

Uma mulher – Péter Esterházy – editora Cosac Naify

Dentes de leite – Ignacio Martinez de Pisoneditora Record

Damas da noite – Jetta Carleton – editora Bertrand Brasil

A confissão da leoa – Mia Couto – Companhia das Letras

E todos mais que estão sendo colocados, neste momento, nas livrarias deste país.

Socorro! Por onde começo?

%d blogueiros gostam disto: