Troquei o protetor solar por livros

pilha-de-livros-ii

Aguardo ansiosa a chegada do último encontro anual com as amigas que fiz e mantenho desde a época em que trabalhei numa faculdade baiana.

Cada vez que nos reunimos comemoramos não só as aniversariantes do mês, mas também os aniversários dos meses próximos.

Com antecedência, cada uma diz o que gostaria de receber e as outras se cotizam para oferecer um único presente. Adivinhem quem vai comemorar no próximo encontro? E adivinhem o que vai pedir?

Apesar de ter escolhido, não sei quais são os livros que receberei. Essa incógnita mantém a surpresa do presente, uma agradável e aguardada surpresa!

A lista está pronta e é bem eclética. Tem ganhadores de prêmio Nobel de Literatura, escritores africanos, europeus, americanos e um suspense psicológico.

Mas os autores brasileiros ficaram de fora?  Não. Na estante tenho O que os cegos estão sonhando?, de Noemi Jaffe e em breve chegará a encomenda de  Allegro ma non troppo, da escritora brasiliense Paulliny G Tort.

Os escolhidos deste ano são:

Os Pescadores – Chigozie Obioma / Globo Livros

Enclausurado – Ian McEwan / Cia das Letras

A guerra não tem rosto de mulher – Svetlana Aleksiévitch / Cia das Letras

Como ser as duas coisas – Ali Smith / Cia das Letras

Destinos e Fúrias – Lauren Groff / Intrínseca

Cinco Esquinas – Mário Vargas Llosa / Alfaguara

Um grão de trigo – Thiong’o, Ngugi Wa /Alfaguara

Nem tudo será esquecido – Wendy Walker / Planeta

A livraria mágica de Paris – Nina George – Record

E qualquer outro de Elena Ferrante que não faça parte da série Napolitana. É difícil de acreditar, mas tenho uma cunhada tão especial e generosa que trouxe de Portugal os quatro (eu disse os quatro!) livros que compõem a coleção. Dá para imaginar o peso e espaço que ocuparam na mala?

Graças às aquisições que faço e aos presentes que recebo, tenho um estoque considerável de leitura para enfrentar o calor de Salvador. Neste verão acho que vou economizar no protetor solar.

Os 12 Melhores livros Africanos do séc. XX

Mulheres-de-cinzaAcaba de chegar às livrarias o ultimo livro do escritor moçambicano Mia Couto: Mulheres de Cinzas.

Para os desavisados que ainda não conhecem o escritor, provavelmente o vendedor o recomendará dizendo que seu romance Terra Sonâmbula foi considerado um dos doze melhores livros africanos do séc. XX.

Sempre tive curiosidade em saber quais seriam os outros onze que fazem parte dessa seleta lista, e quais já teriam sido publicados no Brasil.

A lista com os  foi divulgada em 1992 durante a Feira Internacional do Livro no Zimbábue.

Dela constam:

tabela-escritores africanos

 

Algumas curiosidades:

O Chamado de Sosu de Meshack Asare é considerado literatura infanto-juvenil.

Wole Soyinka é teatrólogo e ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 1986. Seu único livro publicado no Brasil é O Leão e a Joia e foi editado pela Geração Editorial.

Naguib Mahfouz ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 1988.

Apesar de Um grão de trigo ter sido publicado pela primeira vez em 1969, só agora chegou ao mercado brasileiro. Foi na FLIP (Feira Literária de Paraty) deste ano que os brasileiros descobriram Ngugi wa Thiong’o.Sonhos-em-tempo-de-guerra

A editora Biblioteca Azul publicou outra obra do escritor: Sonhos em tempo de Guerra.

%d blogueiros gostam disto: