A glória e seu cortejo de horrores

Não cheguei a fazer o mesmo que o escritor Reinaldo Moraes que, ao terminar de ler o ultimo romance da Fernanda Torres, de tão empolgado que ficou, o leu de novo. Mesmo assim posso afirmar que gostei muito de “A glória e seu cortejo de horrores”.

Conforme já tinha feito em “Fim” – quando retratou a vida de cinco amigos moradores de Copacabana – a escritora deu voz a um personagem masculino já avançado nos anos. Desta vez, o ancião nasceu e foi criado na Tijuca, de onde “fugiu” assim que iniciou a carreira artística de ator.

É o próprio artista quem conta a epopeia, desde os tempos em que se apresentou em povoados no interior da Bahia – para conscientizar as massas populares -, aos anos gloriosos de galã de novelas e ator teatral de sucesso, até o retumbante fiasco como protagonista principal de uma encenação delirante e megalomaníaca de Rei Lear.

Mais uma vez apreciei a facilidade da autora em descrever de forma irônica e, por que não dizer, um pouco cruel, o processo de envelhecimento de uma pessoa:

A meia-idade é um período de descuidos e incertezas na vida de um homem. Na da mulher, também, mas elas, pelo menos, enfrentam calores cíclicos, depressões hormonais que justificam as escolhas tortas. O homem, não, ele continua idêntico ao que sempre foi, só que pior, cada dia pior, enxaguando os cabelos, às escondidas, com xampus tonalizantes, e enlouquecendo de amor por meninas que poderiam ser suas filhas. As mulheres são mais realistas. A natureza obriga.

Também me diverti imaginando a quem ela estaria se referindo quando incorporou tantos “causos” profissionais à vida do personagem principal.

Se a escritora – criada nas coxias do meio artístico – não tem idade para ter presenciado muitas dessas histórias, com toda a certeza as escutou serem contadas pelos pais (Fernanda Montenegro e Fernando Torres) ou por seus amigos. Porque cada episódio narrado parece remeter a algum ator real, como se tivesse “um nome com endereço certo”, algo que só os iniciados poderão confirmar.

A leitura de “A glória e seu cortejo de horrores” atiçou a minha curiosidade para outros textos. Além da já mencionada peça de Shakespeare, Rei Lear, o romance de Fernanda Torres comentou sobre outra peça de teatro: “Tio Vânia”, de Tchekhov.

O meu primeiro impulso foi comprá-la. Mas bastaram alguns minutos de reflexão para desistir da ideia. Por mais que eu resista, preciso me conformar que jamais vou conseguir dar conta de tudo o que desejo ler. E assim, o nome Tchekhov foi devidamente anotado e se juntou à interminável lista de escritores que pretendo ler um dia.

 

  • A glória e seu cortejo de horrores

Fernanda Torres

Companhia das Letras

R$ 44,90

E-Book R$24,90

A lista de desejos – parte 2

 

Dar por encerrada uma lista com os livros que pretendo ler é tarefa inglória, fadada ao insucesso, e ainda bem que é assim!

Afinal como resistir às novas resenhas que leio ou às indicações feitas por amigos e leitores do blog?

Na minha lista original constavam os seguintes livros:

Se-so-me-restasse-uma-hora-de-vida

Se só me restasse uma hora de vida – Roger-Pol Droit – Bertrand (escritor francês)

A capa e o título provocador do livro chamaram minha atenção. O autor é um filósofo acostumado a destrinchar temas complexos para um publico leigo no qual me incluo. A conferir.

 

 

A pirâmide do café – Nicola Lecca – Bertrand (escritor italiano)

Este livro foi considerado um dos dez melhores romances italianos de 2013. Ao pesquisar um pouco mais sobre ele, interessei-me pelo tema abordado: “de maneira delicada e emocionante, mostra um jovem ingênuo de cidade pequena que vai entendendo as complicações da vida em uma metrópole. O autor desenvolve uma crítica à sociedade e ao mercado de trabalho, onde aquele que pensa diferente e que busca novas soluções é quase sempre alvo de outros funcionários.”a-piramide-do-cafe

 

 

 

 

 

 

A-imperatriz-de-ferroA Imperatriz de ferro: a concubina que criou a China moderna – Jung Chang – Companhia das Letras (escritora chinesa)

A biografia de uma concubina, que imperou a China por quase meio século, tem que ser no mínimo fascinante, principalmente quando escrita pela autora do imperdível Cisnes Selvagens.

 

 

O fio da vida – Kate Atkinson – Globo Livros (escritora inglesa)

Este livro foi considerado um dos 5 melhores romances de 2013 pelo jornal New York Times, o que não deixa de ser uma excelente recomendação. Além de ser um fenômeno de crítica e público, o seu tema é bastante  instigante: “E se você pudesse mudar as escolhas da sua vida? E se ao nascer de novo, refazendo sua trajetória, pudesse mudar o destino de outras pessoas e até o curso da história?”O-fio-da-vida

 

 Dias Perfeitos – Raphael Montes – Companhia das Letras (escritor brasileiro)

Só tenho lido críticas elogiosas a este suspense escrito por um carioca de apenas 23 anos. Depois que assisti à sua entrevista no programa de Jô Soares fiquei ainda mais interessada em ler o livro.

Raphael-Montes
http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/v/jo-conversa-com-o-autor-raphael-montes/3269040/

 

sete-anosSete anos – Fernanda Torres – Companhia das Letras (escritora brasileira)

Considerei a estreia da atriz de televisão/cinema/teatro no mundo da literatura um grande sucesso. Nada mais natural que queira acompanhar de perto seu mais recente trabalho.

 

 

 

À lista original novos títulos foram acrescentados:

A balada de Adam Henry de Ian McEwan e Judas de Amós Oz, ambos publicados pela Companhia de Letras, e, por indicação de uma leitora do blog, O oitavo selo de Heloísa Seixas da editora Cosac Naify.

Oitavo-selo

 

Oh céus, onde encontrar tempo para ler tudo o que desejo?

Fim? Quem disse?

FIM-Fernanda-TorresPor diversas vezes ergui as sobrancelhas e soltei interjeições de apreciação, enquanto lia FIM de Fernanda Torres.

Há quanto tempo um livro não me divertia tanto? Conheço e aprecio as inteligentes crônicas desta atriz multi facetada, mas não é que ela também escreve ficção de boa qualidade?  São apenas 201 páginas que se leem rapidinho e, no entanto, quem disse que queria fazer isso? Li e reli frases e parágrafos, encantada não só com a precisa escolha das palavras, mas também com o fino humor presente o tempo todo no texto.

A autora narra as aventuras pra lá de tórridas e os desgostos amorosos vividos por cinco amigos – nascidos e criados na Cidade Maravilhosa.

Se até então costumava olhar um idoso com a mesma candura que dedico às crianças, após ler FIM deixei de fazer isso. Joguei fora a imagem do velhinho encantador, cheio de sabedoria que foi sendo adquirida ao longo dos anos. Que vícios não poderão se esconder por trás de sua aparência frágil?

Os personagens de Fernanda Torres são rabugentos, neuróticos, cruéis, frustrados, degenerados, definitivamente não inspiram a menor simpatia, mas são tão humanos, tão reais, tão conhecidos!

Fim? Quem disse? Parabéns Fernanda Torres o seu romance de estreia é ótimo! Aguardo o próximo.

  • Fim

Fernanda Torres

Editora Companhia das Letras

R$ 34,50 

E-Book R$ 24,00

Meus presentes de Natal

Ainda não dei conta da lista de livros “Quero Ler” feita ano passado e já estou com outra novinha em folha. Desta vez os escolhidos são:

Marcoré Marcoré de Antonio Olavo Pereira – editora Arqueiro

(Confesso que nunca tinha ouvido falar nesse escritor. Fiquei curiosa quando soube que seu livro publicado em 1957 fora muito bem recebido, não só, pelo público mas também pela crítica, tendo inclusive recebido o Prêmio Romance da Academia Brasileira de Letras. Além do que gostei muito da capa, capas bonitas me seduzem bastante.)

Fim de Fernanda Torres – Companhia das Letras

(Este é o primeiro romance escrito pela premiada atriz de cinema e televisão. Como aprecio as crônicas que escreve quinzenalmente na Veja-Rio resolvi conferir seu novo trabalho.)

O jantar de Herman Koch – editora Intrínseca

(Assim que li a resenha fiquei interessada. O livro publicado originalmente na Holanda, rapidamente foi um sucesso, e tem sido presença constante na lista dos mais vendidos de diversos países. Duas adaptações cinematográficas estão programadas. A primeira holandesa estreou em novembro nos Países Baixos, e a segunda versão marcará a estreia da atriz australiana Cate Blanchett como diretora.)

Madrugada suja de Manuel Sousa Tavares – Companhia das Letras

(O autor me conquistou com Equador e desde então leio todos seus livros publicados no Brasil.)

Grande-Irmão-Lionel-ShriverGrande irmão de Lionel Shriver – editora Intrínseca

(Se houve um livro que me impactou bastante foi Precisamos falar sobre Kevin. Também gostei muito de O mundo pós-aniversário, que conta o que aconteceria na vida de uma mulher se ele optasse por um ou outro relacionamento amoroso. No Brasil foram publicados mais dois livros da autora cujos temas não me interessaram (Dupla Falta e Tempo e Dinheiro), mas o de Grande irmão chamou minha atenção. Ele fala sobre um tema tabu e ao mesmo tempo tão presente na nossa sociedade, a obesidade.)

Kardec a biografia de Marcel Souto Maior – editora Record

(Apesar de morar num país em que o espiritismo é tão presente, desconheço a vida de seu fundador. Uma falha que pretendo solucionar nos primeiros meses do próximo ano.)

Agora, fico me perguntando quantos outros títulos irão se juntar a estes antes da véspera do Natal?

  • Marcoré

Antonio Olavo Pereira

Editora Arqueiro

R$ 29,90

  • Fim

Fernanda Torres

Editora Companhia das Letras

R$ 34,50

  • O jantar

Herman Koch

Editora Intrínseca

R$ 29,90

  • Madrugada suja

Miguel Sousa Tavares

Editora Companhia das Letras

R$ 39,50

  • Grande irmão

Lionel Shriver

Editora Intrinseca

R$ 29,90

  • Kardec a biografia

Marcel Souto Maior

Editora Record

R$ 39,00

%d blogueiros gostam disto: