Rumble, Rumble!!

Segredos-de-menina

Esqueça a Maitena dos quadrinhos “Mulheres Alteradas”, onde o universo feminino é retratado com ironia e alguma frivolidade.

Depois de quatro anos e 13 versões diferentes, finalmente estava pronto o seu primeiro romance: “Segredos de Menina“. Um livro que custou a ser escrito por carregar fortes tintas autobiográficas.

O titulo escolhido na versão brasileira é bem diferente do original “Rumble” – única homenagem ao passado de desenhista da autora – e que quer dizer “o som da terra vibrando sobre os pés, ou quando as pedras caem pela ladeira ou um vulcão está prestes a explodir, rumble!, rumble!, escrevem em letras vermelhas com as bordas em zigue-zague”.

Como não conheço nenhuma menina, entre os doze e quinze anos, que não tenha e guarde segredos de “vida ou morte”, prefiro o título original Rumble que retrata com perfeição a forma – caótica e instável – como a personagem tenta equilibrar a própria vida.

Segredos de Menina” conta a história de uma adolescente dividida entre a elegante Buenos Aires e a pachorrenta Bella Vista – “bairro residencial de ruas de terra onde a metade é milico e a outra metade Opus Dei e em alguns casos as duas coisas ao mesmo tempo” – durante a década de 70, época perigosa assombrada pela truculenta ditadura militar.

Assim como a personagem, a autora também nasceu em uma família tradicional, cresceu cercada por muitos irmãos, pais afetivamente ausentes, e aos dezessete anos foi mãe solteira .

Apesar de ter dito em uma entrevista*, que nem “tuuuudo” o que está no livro aconteceu de fato, ele é um retrato bastante fiel de sua adolescência.

À medida que descrevia a mãe da personagem, era da própria que falava. E pela primeira vez a viu com toda a nitidez, e compreendeu o porquê de suas neuroses e frustrações.

O mesmo processo ocorreu ao escrever sobre o pai. Antiperonista ferrenho, católico fervoroso e especialista em Educação, o pai de Maitena inicialmente apoiou o golpe militar (acreditava que os militares apesar de burros eram boa gente) e em 1981 – durante o governo do general Viola – foi por 8 meses Ministro de Cultura e Educação . Dizia que a imprensa internacional publicava notícias mentirosas para desestabilizar o governo. Foi tremendo o choque quando – reinstaurada a democracia – soube que era tudo verdade.

Hoje, apesar de confiar na inocência do pai, Maitena diz que ele não tinha o direito de ter sido tão ingênuo.

Com “Segredos de Menina” a autora exorciza todos os fantasmas, e pela primeira vez assina um livro com o sobrenome do pai: Burundarena. Finalmente, depois de tantos anos o passado estava devidamente enterrado e perdoado.

  • Segredos de Menina

Maitena Burundarena

Editora Benvirá 

R$ 29,90

  • Muitas das informações contidas neste post foram extraídas de:

http://www.pagina12.com.ar/diario/suplementos/radar/9-7327-2011-09-12.html

Nem mesmo todo o oceano

Morreu Alcione Araujo, dramaturgo, roteirista e escritor mineiro, autor de Nem mesmo todo o oceano, livro que li há mais de dez anos e que muito me marcou na época.

Trata-se de um Senhor romance. Grande no tamanho e com uma trama envolvente.

Em mais de 700 páginas somos apresentados aos fatos históricos e costumes que marcaram o Brasil nas décadas de 50 a 70, pano de fundo para ascensão e a derrocada de um rapaz ambicioso, de origem humilde, nascido no interior de Minas Gerais, e que se torna médico no Rio de Janeiro.

Preocupado apenas em alcançar o sucesso profissional e ascender socialmente, sem se identificar com qualquer partido ou ideologia política, o personagem termina participando ativamente no submundo repressivo da época.

Ao escrever Nem mesmo todo o oceano Alcione Araujo pensava menos nas razões políticas e ideológicas da nação, e mais nas motivações éticas das atitudes humanas. Para tal, construiu um personagem cativante, sedutor e exemplo de obstinação profissional, mas que, ao longo de sua trajetória, derrapa moralmente na própria ambição e se revela um autentico anti-herói. Um comportamento que suscita discussão sobre a personalidade perversa adormecida nos seres humanos, os meios de alcançar o sucesso e a responsabilidade moral sobre nossas escolhas.

Empolgante, instrutivo, perturbador e com um final surpreendente, Nem mesmo todo o oceano, nos convida a refletir um pouco mais nas escolhas que fazemos levianamente. As consequências podem se transformar num tsunami não só em nossas vidas, mas também naquelas de quem mais amamos.

Nem mesmo todo o oceano

Alcione Araujo

Editora Record

R$ 57,90

%d blogueiros gostam disto: