Sem tempero não dá

 

sem-tempero-nao-da-iiMinha mania por livros de culinária começou na adolescência quando precisei fazer dieta. Ó fase difícil quando a criança que ainda existe dentro da gente quer comer mais uma porção de mousse de chocolate e entra em conflito com a jovem insegura que deseja receber olhares de admiração do sexo oposto.

Na época, os raros livros de culinária eram só de texto, mas as revistas ofereciam imagens dos pratos prontos. Eu acreditava piamente que para emagrecer precisava passar fome e me mortificava colecionando recortes de revistas e jornais. Minha boca estava sempre aguando e o mau humor era constante.

Depois de muitas dietas e besteiras que não merecem ser lembradas, finalmente compreendi que comer em excesso além de aprofundar os meus medos não me permitia aproveitar a vida. Demorei a perceber que tudo era possível, deste que consumido com equilíbrio e moderação.

Diferentemente de muitas pessoas, tenho prazer em apreciar novos sabores. Não tenho receio de provar aquele prato que consta no cardápio e nem desconfio o que seja. Normalmente acerto na escolha, mas já aconteceu do garçom olhar para a minha cara de decepção e me oferecer outra coisa.

De uns anos pra cá venho me aproximando de alimentos e receitas mais saudáveis. Já faz um bom tempo que diminuí o consumo de carne vermelha, substituí o arroz branco pelo integral, acrescentei outros alimentos ao meu cardápio diário, como a aveia, e recentemente incluí o óleo de coco.

Tenho alguns livros de culinária “natureba”, mas fiquei curiosa com o recém lançado livro da chef de cozinha Anna Elisa de Castro: Sem tempero não dá.

Logo nas primeiras páginas fiquei encantada com o jeito de ser da autora. Se há uma qualidade que eu admiro numa pessoa é a gratidão e Anna Elisa dedica um capítulo inteiro para homenagear os amigos e parceiros que a auxiliaram a produzir o livro. A segunda qualidade que aprecio é a Generosidade, e ela é pródiga nisso.

Com uma didática perfeita, Anna Elisa cativa o leitor e o incentiva a experimentar a culinária vegetariana. Está lá a lista de ingredientes que não podem faltar numa despensa, assim como os utensílios necessários para tudo funcionar a contento. As receitas não são complicadas e compõem cardápios diferentes para serem consumidos em duas semanas.

Costuma-se dizer que primeiro comemos com os olhos e depois com a boca. As fotos dos pratos são tão apetitosas, transmitem tanto frescor, que dá vontade de torná-las realidade.

O livro Sem tempero não dá é cria do programa de TV com o mesmo nome, que pode ser assistido na internet. Vale a pena conhecer a simpática chef/apresentadora e sua ajudante pra lá de desembaraçada. Bom apetite!

 

  • Sem tempero não dá
    Anna Elisa de Castro
    Boccato & Companhia Editora Nacional
    R$ 42,90

Viaggiando com Camila

 

viajando-pelo-mundo

Na maioria das vezes fica difícil, ou até mesmo impossível, determinar quem é o autor das informações pesquisadas na internet que irão dar corpo a um futuro post. No entanto também pode acontecer da busca levar até um novo site ou blog, que informa sobre o que se procura e muito mais!

Pesquisando sobre escritores palestinos encontrei o blog http://www.viaggiando.com.br escrito pela mineira Camila Navarro, que me apresentou The Lady from Tel Aviv. Ela leu o livro porque tem um projeto pessoal muito interessante.

Camila pretende ler 198 romances, cada um representando um dos 193 países membros da ONU, mais os dois estados-observadores (Palestina e Vaticano) e autores de Kosovo, Taiwan e Saara Ocidental, países que ainda não foram reconhecidos como nações independentes.

Seu projeto está bem adiantado, até agora já leu 81 livros. Escritores nada óbvios como Gilbert Gatore de Ruanda ela encontra no site Book Depository. Outros como o português Miguel Sousa Tavares e o norueguês Jo Nesbo já foram publicados no Brasil.

Além de falar sobre literatura o blog aborda um outro tema que me encanta: viagens!

Este tópico fala das atrações, passeios e hospedagens que cada país ou cidade oferece. Também comenta sobre gastronomia com enfoque na culinária vegetariana. O parceiro das andanças de Camila pelo vasto mundo é o marido Eduardo. Os dois já percorreram países não tão óbvios como Albânia, Kosovo e Vietnã, e esnobaram solenemente os mais manjados como França, Itália e EUA.

Camila escreve de maneira fluente e agradável, mas me conquistou definitivamente ao se declarar apaixonada por Portugal. Como diz o ditado popular Quem meus filhos beija, minha boca adoça.

%d blogueiros gostam disto: