Tudo que é belo

Posso estar enganada, mas não me lembro de ter ouvido comentários ou lido resenhas sobre Tudo que é belo – quarenta cinco histórias reais, quando o livro chegou às livrarias.Talvez a capa escura tenha se perdido no meio dos outros lançamentos. No entanto, Tudo que é belo merece uma atenção especial. Não porque possui um estilo literário interessante ou uma ideia arrebatadora, mas por apresentar histórias sensíveis e verdadeiras.

Tudo começou  nas noites quentes do verão de 1997, quando o escritor norte-americano, George Dawes Green, se reunia com amigos e familiares na varanda da sua casa. As conversas rolavam soltas e, com o decorrer das horas, tornavam-se mais pessoais e os participantes contavam episódios marcantes de suas vidas.

O calor humano que fluía nesses encontros tornou-os muito concorridos. Algo que começou de modo informal deu origem ao Projeto Mariposa* e, por fim, chegou aos palcos. O nome foi uma homenagem às “borboletinhas” noturnas que eram atraídas pela luz das lâmpadas acessas na varanda.

A contação de histórias não procura transmitir nenhum ensinamento, nem retratar atos heroicos. As experiências apenas precisam ser verdadeiras e não ultrapassar cinco minutos. 

Os contadores não falam de fadas, nem de gigantes, mas do que aconteceu com o filho que sofreu um grave acidente; daquele simpático vizinho que não era quem dizia ser; do adolescente que procurou se adaptar à vida normal de um garoto da sua idade, após ter sido um soldado-menino; do músico que alcançou vertiginosamente o sucesso mundial para em seguida cair no ostracismo; do voluntário na África que precisou escolher quem podia salvar ou deixar para trás…, e tantos outros relatos que foram compilados no livro.

As histórias reunidas em Tudo que é belo resgatam o prazer da conversa olho no olho, e nos convidam, também, a prestar atenção em quem está próximo de nós.  

*Moth Project no original

Saí para comprar um colchão

Mais uma vez estou de mudança. Desta vez, não de cidade, mas de bairro. Volto para o apartamento que sempre foi meu e que esteve alugado por muito tempo. Para celebrar o acontecimento, decido que está na hora de trocar de colchão.

O shopping tem três lojas de colchões, todas bem próximas umas das outras. Entro na primeira decidida. Sei exatamente o que quero. Passei o final de semana na casa de uma amiga em Itaipava e dormi maravilhosamente, como há muito tempo não dormia. Prefiro acreditar que o sono reparador é por conta do colchão e não por causa do silêncio e do friozinho da serra. Mas são tantas as opções… Fico perdida. Tem colchões de espuma com densidades diferentes,  colchões com molas pocket e colchões com molas nanolástico e longarinas de reforço. Céus, o que será isso? Sento-me num e balanço o corpo, repito o mesmo em outro, avalio a firmeza dos materiais. O vendedor bombardeia-me com diferentes informações e descontos imperdíveis. Não consigo decidir. Confusa, saio da loja. Por hoje chega.

Passo batida pela loja de chocolates, pelo quiosque com doces portugueses e subo a escada rolante. O que eu preciso é de uma livraria. Não aquela para adultos – a lembrança do que ainda tenho para ler funciona como um excelente freio -, mas não haverá mal nenhum se eu entrar na Malasartes dedicada ao público infanto-juvenil.

Cláudia, uma das sócias do espaço, mostra-me as novidades. Quero todas, mas uma me atrai especialmente. É Casa de Passarinho da escritora e professora Ana Rosa Costa.

Gosto muito de histórias com pássaros. A que tenho em mãos não poderia ser mais bonita. No texto, duas crianças encontram um ninho em cima de uma arvore. Com o passar dos dias, acompanham o vai e vem de um casal de passarinhos. O que será que eles estão fazendo?

As Ilustrações são do maravilhoso Odilon Moraes. O curioso é que os desenhos não possuem margens certas e definidas. São esboços, rascunhos de poucas cores que dão visibilidade à história escrita.

Estou pronta para encerrar a compra quando olho displicentemente para o lado. Bem à minha direita estão as histórias do personagem folclórico Malasartes recontadas por Augusto Pessôa. Por coincidência, na semana anterior, terminei um curso na PUC de Contação de Histórias, tendo Augusto como professor. E que professor! Foram aulas extremamente prazerosas. Como não levar o livro cujo título, ainda por cima, dá nome à livraria?

Saí pra comprar um colchão e voltei para casa com dois livros.

O Livro Sem Figuras

 

O-livro-sem-figuras

Há muito tempo não me divertia tanto com um livro infantil sem uma única ilustração e sem uma história para contar!

Escrito pelo ator e comediante norte-americano B. J. Novak – mais conhecido por suas atuações na minisérie The Office e no filme Bastardos Inglórios – O Livro Sem Figuras é uma gargalhada gostosa do início até a última página.

Trata-se de um livro que precisa ser lido em voz alta, quer seja por um adulto ou por uma criança maior, que dirá palavras malucas como: Borongotango, Glúbidi-Glóbite e Xablau!!

O Livro Sem Figuras é muito engraçado, e com toda a certeza criará momentos maravilhosos entre filhos e pais, alunos e professores e todos os que tiverem o prazer de o ler e escutar.

 

  • O Livro Sem Figuras

B. J. Novak

Editora Intrínseca (2015)

R$ 29,90

E-Book R$ 19,90

 

Confira o CALENDÁRIO de CONTAÇÃO de O Livro Sem Figuras:

Belo Horizonte
Dia: 21/6, domingo
Horário: 16h
Local: Livraria Leitura BH Shopping
Endereço: Rod. BR 356, 3049 | Loja OP51 — Belvedere

Porto Alegre
Dia: 4/7, sábado
Horário: 16h
Local: Saraiva Praia de Belas Shopping Center
Endereço: Av. Praia de Belas, 1.181 | Piso 2 — Praia de Belas

Recife
Dia: 4/7, sábado
Horário: 17h
Local: Livraria Cultura Shopping Rio Mar
Endereço: Av. República do Líbano, 251 | Piso L2 — Pina

Curitiba
Dia: 5/7, domingo,
Horário: 16h15
Local: Livrarias Curitiba – ParkShopping Barigui
Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 600 | Loja T17 — Campina do Siqueira

Salvador
Dia: 5/7, domingo
Horário: 17h
Local: Livraria Cultura Salvador Shopping
Endereço: Av. Tancredo Neves, 3.133 | Piso L2 — Caminho das Árvores

São Paulo
Dia: 5/7, domingo
Horário: 17h
Local: Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos
Endereço: Avenida Nações Unidas, 4.777, Piso 2 | Loja 245 — Jardim Universidade Pinheiros

 

 

%d blogueiros gostam disto: