A Vítima Perfeita

A-Vitima-PerfeitaAo comentar sobre um livro que li, normalmente procuro não saber o que os outros blogueiros escreveram sobre ele. Receio ser influenciada por essas opiniões.

Não conhecia a autora Sophie Hannah e ao ler a orelha de A vítima perfeita fui seduzida por suas excelentes credenciais. Ela é autora de diversos gêneros literários, vencedora de prêmios, tem um romance adaptado para a televisão e sua obra já foi traduzida para 32 idiomas.

Entretanto, quando terminei de ler o livro, fiquei em dúvida se tinha gostado dele ou não. Na verdade, o meu questionamento era se o recomendaria ou o ofereceria de presente. Contrariando os meus princípios, fui ler algumas resenhas sobre A vítima perfeita. A grande maioria foi bastante elogiosa, mas eu tinha algumas ressalvas a fazer. Não que tivesse desgostado do livro, mas para mim toda a história não se sustentava por causa de alguns furos na trama.

Como era possível que os idealizadores de um site – criado para ajudar as vítimas de estupro a falar sobre o que lhes acontecera e sobre como se sentiam – não tivessem lido e percebido que pelo menos dois dos relatos eram muito parecidos e não procuraram a polícia para que fosse feita uma investigação mais profunda?

Quando a narrativa começa, já se passaram três anos desde que Naomi escreveu anonimamente para esse site. Agora, ela está vivendo uma intensa relação amorosa com um homem casado, de temperamento muito sistemático. Eles costumam se encontrar sempre no mesmo dia da semana, no mesmo hotel e, à medida que o relacionamento evolui, começam a fazer planos para o futuro. Por isso, quando ele não comparece ao encontro de todas as quintas-feiras e não responde às suas chamadas telefônicas, ela tem certeza que algo de muito sério aconteceu e a vida dele corre perigo.

Naomi procura a polícia mas sua denúncia é tratada com descaso, como se fosse uma simples briga de casal. Inconformada, ela modifica o seu depoimento e diz que o amante é na verdade seu estuprador.

Depois dessa declaração bombástica é difícil largar o livro. Mas, mais adiante, voltei a questionar a possibilidade de um segredo (e que segredo!) ser guardado por um grupo de desconhecidos. Afinal, como diz o ditado, “segredo a dois, só matando um.” Imagine, então, quando são vários!

Feitas estas considerações sobre a trama, admito que A vítima perfeita agradará aquele público leitor que aprecia um  suspense psicológico repleto de reviravoltas.

 

  • A vítima perfeita

Sophie Hannah

Editora Rocco

R$ 39,50

E-book R$ 25,50

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: