A Segunda Pátria

A-segunda-patria

O bom de ser escritor é que se pode inventar qualquer história. Quer seja a mais bela e fantasia ou o pior dos pesadelos.

Pois é desse segundo tipo a narrativa de Miguel Sanches Neto em A Segunda Pátria.

Imagine o leitor se, em troca de apoio científico, industrial e econômico, o presidente Getúlio Vargas tivesse feito um pacto com Hitler e concordasse com a implantação de um posto avançado germânico no sul do Brasil.

Ali, a língua oficial seria a dos colonos alemães e nas escolas os alunos aprenderiam a ideologia nazista. Os judeus seriam deportados para a Alemanha, negros e mestiços confinados em galpões, forçados a trabalhar como escravos, e as mulheres tratadas como meras reprodutoras da raça ariana.

Por mais esquizofrênico que esse cenário possa parecer, convém lembrar que no final da década de trinta o maior aliado comercial do Brasil era o governo nazista, e, como demonstração de boa vontade, o governo brasileiro criou um sem número de dificuldades para impedir a entrada de judeus no país.

Gostei muito de A Segunda Pátria e de seu final surpreendente.

Quando terminei a leitura fiquei imaginando o que poderia ter acontecido se a Alemanha tivesse ganhado a guerra. Até onde teriam chegado os tentáculos de sua ideologia belicosa e eugênica? Balancei com força a cabeça para expulsar esse pensamento. Mas uma frase dita por um dos personagens principais permaneceu:

Mãos acostumadas às armas dificilmente amam virar páginas.

 

  • A Segunda Pátria

Miguel Sanches Neto

Editora Intrínseca

R$ 34,90

E-Book R$ 14,90

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: