A verdade sobre o caso Harry Quebert

A-verdade-sobre-o-caso-henry-quebert

“Um livro que será celebrado e estudado por futuros escritores!”

“Depois de A verdade sobre o caso Harry Quebert a literatura contemporânea nunca mais será a mesma. Veredito: Summa cum laude*”

O que esperar de um livro que recebe críticas como essas, e fica entre os quatro (eu disse quatro!) finalistas do prestigiadíssimo prêmio literário francês, o Goncourt de 2012, que já premiou escritores como Marguerite Duras, Michel Houellebecq, e Patrick Modiano vencedor do prêmio Nobel de Literatura deste ano?

Não é de estranhar que as minhas expectativas fossem as maiores possíveis, quando comecei a ler A verdade sobre o caso Harry Quebert de Joël Dicker.

Desde o início sabia que  tinha em mãos um livro de suspense. A história de um amor impossível entre um escritor de trinta e poucos anos e uma adolescente; o desaparecimento dessa mesma garota vista pela ultima vez sendo perseguida por um homem não identificado. Trinta e três anos depois sua ossada aparece enterrada no jardim desse escritor. Apesar de jurar inocência, ele se torna o principal suspeito e é massacrado pela mídia. É aí que entra o personagem principal do livro, um ex-aluno seu e famoso escritor que está enfrentando uma severa crise de bloqueio criativo. Mesmo correndo risco de vida, ele fará de tudo para descobrir o verdadeiro assassino.

A história começou muito bem, mas logo minhas expectativas sofreram algumas reviravoltas, tantas quantas as narradas na trama do livro.

Afinal como era possível alguém se apaixonar por uma menina tão chatinha e grudenta? E o que dizer dos outros personagens: O advogado incompetente e sem noção, a mãe judia verborrágica, o editor caricato e mercenário?  Assim mesmo, eu continuava agarrada na leitura do livro – como se estivesse andando numa montanha russa – com seus altos e baixos, mas me divertindo muito!

E é isso que A verdade sobre o caso Harry Quebert realmente é, pura diversão! Eu é que colocara expectativas demais, me deixara levar pelas críticas, pelos prêmios e sabe lá mais o quê.

Valeu a pena? Claro! Daria de presente? Com certeza! Inclusive é perfeito para ler nas férias de verão que se aproximam.

Meu único conselho é, não se impressione com as avaliações excessivamente elogiosas. Considerar como “magistral” ou “Um thriller que lembra o melhor de Truman Capote”, é com certeza um grande exagero.

Como curiosidade, em 2012 o vencedor do prêmio Goncourt foi Jérôme Ferrari com O sermão sobre a queda de Roma já publicado no Brasil pela Editora 34, e que corre o sério risco de entrar na lista: “Livros que lerei um dia”.

 

* Frase em latim que quer dizer Com a Maior das Honras. Representa a maior distinção e o reconhecimento por obter a máxima qualificação possível em uma titulação universitária, especialmente nos níveis do mestrado ou doutorado.

 

  • A verdade sobre o caso Harry Quebert

Joël Dicker

Editora Intrínseca

R$ 39,90

E-Book R$ 24,90

 

  • O sermão sobre a queda de Roma

Jérôme Ferrari

Editora 34

R$ 42,00

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Celina
    dez 03, 2014 @ 07:35:01

    Li o livro, um livrão que me prendeu do início ao fim, gostei das idas e vindas,
    da narrativa não linear. Como sempre Paula e a sua Fagulha de Ideias
    sugerem leituras ótimas pra gente!

    Responder

  2. fagulhadeideias
    dez 03, 2014 @ 08:31:54

    Não é à toa que o livro já vendeu mais de 2 milhões de exemplares em todo o mundo!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: