Uma visita à Casa dos Budas Ditosos

Casa-dos-budas-ditosos

A vida é assim mesmo. Basta um escritor morrer para se ficar com vontade de conhecer ou reler seus livros.

Não que João Ubaldo Ribeiro estivesse esquecido, muito pelo contrário. Todo o domingo O Globo e A Tarde – jornais do Rio de Janeiro e de Salvador, publicavam sua crônica semanal. Na última, ele ironizava a forma infantilizada, como nos dias de hoje, os cidadãos são tratados pelos governantes, tamanha a quantidade de leis policialescas criadas com a única finalidade de tolher a individualidade e o discernimento das pessoas.

Mas o fato é que, desde 2009, João Ubaldo não publicou nada direcionado ao público em geral, sendo que o ultimo livro a chegar às livrarias foi o infanto-juvenil “Dez bons conselhos de meu pai.

Saudosa de suas crônicas dominicais, procurei na estante o que poderia ter sobrevivido à Grande Mudança*, quando, com o coração partido, me desfiz de doze (eu disse doze!) caixas de livros.

Espremido entre Viva o povo brasileiro e O Sorriso do Lagarto encontrei A Casa dos Budas Ditosos. Não sei como, mas esse escapara à minha leitura. Tinha uma noção do tema abordado. Recordo que na época do lançamento o livro criara o maior estardalhaço, e vários estabelecimentos recusaram-se a vendê-lo.

Não importa se a história, contada pelo autor, é fruto da sua imaginação ou, se como ele mesmo diz, trata-se da transcrição fiel e secreta das confissões de uma senhora de 68 anos. O certo é que a narrativa é pra lá de caliente! Comparado com ele a popular trilogia Cinquenta Tons de Cinza é apenas uma versão pálida e envergonhada da literatura erótica.

Pensamentos, opiniões e as descrições das mais variadas peripécias sexuais, jorram de forma ininterrupta. Eventualmente o leitor tem até vontade de descansar, de respirar um pouquinho, mas quem disse que a senhorinha quer parar? Ela é insaciável, “um grande homem fêmea” como ela mesmo se autointitula.

Escandaloso, pornográfico? Com certeza, mas muito divertido e, por que não dizer, instrutivo. A Casa dos Budas Ditosos é provocador até o ultimo parágrafo.

Gostando, ou não, o livro é um reflexo do pensamento contestador e anárquico de João Ubaldo, que, até ao ultimo escrito, esbravejou contra a mesmice do politicamente correto e se rebelou contra tudo e todos que sufocassem a liberdade de pensamento – por mais estapafúrdio que ele pudesse ser.

 

  • A Casa dos Budas Ditosos

João Ubaldo Ribeiro

Editora Objetiva

R$ 36,90

E-book R$ 24,90

5 Comentários (+adicionar seu?)

  1. joão em decomposição
    set 02, 2014 @ 11:43:51

    Eu também só li esse livro (parcialmente) nos últimos meses. É uma prova de que o bom escritor pode tratar de qualquer tema de forma apaixonante. Ubaldo é um sedutor de leitores. A gente não consegue interromper a leitura de um livro dele.

    Responder

  2. Celina
    set 03, 2014 @ 08:29:57

    Paula, que bela homenagem ao Ubaldo! Convido você para comemorarmos o seu aniversário vendo juntas a Fernanda Torres e a montagem da Casa dos Budas Ditosos, está em cartaz no Imperator de 30 de novembro a 9 de dezembro.
    Beijo da Celina

    Responder

  3. Juliana Lisboa
    set 03, 2014 @ 18:45:30

    Paula, concordo plenamente! E se você quiser uma abordagem ainda mais direta sobre o tema (e levemente escatológica) indico Tanto Faz & Abacaxi, de Reinaldo Moraes. Ele também escreveu Pornopopéia, outro livro que adoro. Mas Tanto Faz continua sendo meu preferido!

    Responder

  4. fagulhadeideias
    set 03, 2014 @ 22:41:07

    Obrigada Juliana. É sempre bom ser apresentada a novos autores, e uma dica sua vale ouro! beijo

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: