Um pouco mais do mesmo

silencio das montanhas

Lembro-me perfeitamente da imediata ligação que fiz entre o terremoto ocorrido no Paquistão, em outubro de 2009, e o livro “O Caçador de Pipas” que devorava na época.

Estava tão envolvida na história dos dois garotos – encantada com o leal e bondoso Hassan, e sofrendo com o caráter do carente e medroso Amir – que ao escutar as notícias sobre a catástrofe tive a impressão que a tragédia acontecera em algum país bem próximo de mim.

Senti-me profundamente solidária com as vítimas – era como se as conhecesse pelo nome – apesar de estarem a milhares de quilômetros de distância.

O romance se desenrolava tendo como pano de fundo os acontecimentos políticos no Afeganistão – inicialmente os tempos de paz vividos em Cabul, depois a invasão do país pelos tanques da URSS, a fuga de milhares afegãos para o Paquistão e, terminando com a retomada da soberania nacional sob o regime violento dos Talibãs.

A lembrança do ataque às torres gêmeas ainda era recente, e o mundo ocidental começava a se interessar e a querer saber como vivia e pensava o mundo muçulmano – esse grande desconhecido.

O romance foi um tremendo sucesso mundial, e para mim um livro inesquecível e marcante.

Anos depois, do mesmo autor, li “A cidade do sol”. Desta vez a história girava em torno do sofrido e maltratado universo feminino, e mais uma vez gostei da história narrada. Por isso, aguardei com expectativa a chegada de “O silêncio das montanhas”.

Infelizmente o encanto havia se quebrado. Não é que o livro fosse ruim ou Khaled Hosseini não soubesse mais contar histórias, mas para mim a fórmula estava esgotada. Tudo o que era importante ser dito já havia sido feito nos livros anteriores.

“O silêncio das montanhas” é mais um romance acomodado, ideal para aqueles que procuram terreno seguro e conhecido, mas decepcionante para quem, como eu, desejava ser surpreendida pelo frescor de um novo “O Caçador de Pipas”.

  • O Silêncio das Montanhas

Khaled Hosseini

Globo Livros

R$ 39,90

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Jusciney Carvalho
    set 03, 2013 @ 17:20:14

    A que frustrante, né? Lendo seu post me lembrei de “Promessas de um mundo novo”. Um documentário feito com crianças israelistas e palestinas sobre como vivem suas infâncias e como percebem o mundo em que vivem. Muito legal! Assista quando puder…. está disponível nesse link: http://www.youtube.com/watch?v=YkQmb37fxts

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: